COACHING: UMA PONTE NO ABISMO RELACIONAL E GERENCIAL EM ORGANIZAÇÕES

Rafaella Cristina Campos, Mônica Carvalho Alves Cappelle, Tayriane Mayre Silva

Resumo


Objetiva-se neste artigo conhecer as demandas das organizações apresentadas aos profissionais de coaching, visando atendimento focal para os gerentes seniores e juniores. Identificam-se poucas pesquisas nacionais que cunham o termo ‘coaching’ como aspecto central de seus trabalhos; sendo assim, há baixo volume de publicação e pouca profundidade científica no tema, que tem, em contrapartida, apelo no mercado nacional. Para este artigo opta-se pela metodologia qualitativa, com método exploratório. Foram entrevistados em profundidade dois profissionais de coaching, prosseguindo a análise por meio da técnica de análise de conteúdo por grade fechada. Conclui-se que o abismo entre gerentes seniores e juniores é tecnológico e vivencial. As organizações estão interessadas em amenizar as diferenças da construção de carreira de ambos profissionais, a fim de absorver suas competências diferencialmente, para equilibrar o desenvolvimento e manutenção das lideranças gerenciais, garantindo a produtividade, a lucratividade e a diversidade.


Palavras-chave


Coaching; Organizações; Gerente Seniores; Gerentes Juniores

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2359-618xregea.v6i1/2.p287-299.2017

Direitos autorais 2017 Revista Gestão em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.