AS INOVAÇÕES SOCIAIS NOS ECOSSISTEMAS

Laércio Ferreira Matos

Resumo


A inovação é um fenômeno interativo e não linear, que modifica, em determinada intensidade, o cotidiano de uma parte da sociedade. Logo, podemos afirmar que toda inovação tem impacto social, em maior ou menor intensidade. Por outro lado, sabemos que o desenvolvimento de novos produtos, processos, metodologias ou estruturas tem o objetivo de gerar renda para seus criadores. Esta constatação denota dois elementos fundamentais para o processo inovador que, infelizmente, são, às vezes, erroneamente considerados antagônicos: lucratividade e bem-estar social. Este breve ensaio se baseia na analogia que normalmente ocorre entre as inovações sociais e as economias de baixo custo, o que tem levado os programas de apoio às inovações sociais a serem confundidos com assistencialistas, e mesmo os editais formulados, dirigidos a inovações sociais, têm restringido seus apoios às organizações sociais, quando se sabe que uma grande empresa, dotada de laboratório de equipamento de ponta, quando desenvolve um novo medicamento, por exemplo, realiza uma inovação social. O texto defende que a inovação social deve ser vista como parte do Ecossistema Inovador e, por isso, deve ser analisada de forma sistêmica, como fenômenos interativos, e não de forma isolada, o que tende ao viés assistencialista na formulação de políticas de apoio.


Palavras-chave


Inovações Sociais; Ecossistemas de Inovação; Políticas Públicas de Inovação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2359-618xregea.v7i1.p217-221.2018

Direitos autorais 2018 Revista Gestão em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.