Fatores de risco modificáveis na sobrevida de pacientes submetidos à hemodiálise

Kelser de Souza Kock, João Antônio Breda Neto, Lohrayne de Paula Borges

Resumo


Introdução: a doença renal crônica (DRC) é definida pela presença de alterações renais, por um período maior que três meses. Mesmo com a terapia de hemodiálise para substituir a função renal, há uma redução importante na sobrevida desses pacientes. Objetivo: avaliar o impacto dos fatores de risco modificáveis na sobrevida de pacientes renais crônicos. Método: coorte prospectiva realizada na Clínica Doenças Renais localizada em Tubarão-SC. Foram coletados idade, sexo, índice de massa corporal (IMC), tabagismo, tempo de hemodiálise, causa DRC, taxa de filtração glomerular, força de preensão manual e nível de atividade física. Após 20 meses de acompanhamento, foi analisado o efeito dessas variáveis na mortalidade. Resultados: foram avaliados 122 pacientes, sendo 74 (60,7%) homens com média de idade de 59,4 ± 14,0 anos e IMC médio 24,3 ± 5,0 kg/m2. Durante o período de acompanhamento foram contabilizados 73 (59,8%) sobreviventes, 31 (25,4%) óbitos, 12 (9,8%) transplantes e 6 (4,9%) transferências. Na comparação dos grupos não óbito e óbito, foi observada diferença estatística apenas na presença de tabagismo com risco relativo de 5,975 (IC 95% 2,146–16,663) p=0,001. Conclusão: o tabagismo está diretamente relacionado à mortalidade em indivíduos com doença renal crônica em hemodiálise.


Palavras-chave


Força da mão; Diálise renal; Sobrevivência; Nefropatias; Fumar

Texto completo:

PDFA


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v7i1.2215.p14-20.2019

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Journal of Health & Biological Sciences

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Fale Conosco
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.