A TEORIA DE VALORES INDIVIDUAIS E A REALIDADE BRASILEIRA

Priscila Keller Pires, Graziela Dias Alperstedt

Resumo


O objetivo deste estudo foi o de testar e validar a versão refinada da Teoria de Valores de Schwartz et al. (2012), aplicando o Questionário de Perfis de Valores (QPV-5) em uma amostra de estudantes de graduação em Administração. Participaram deste estudo 406 estudantes de graduação de universidades públicas e privadas, em sua maioria, com média de idade entre 20 e 24 anos. Nesta amostra, o QVP-5, testado por meio da Análise fatorial confirmatória (AFC), não apresentou índices satisfatórios de consistência interna. Dessa maneira, uma nova estrutura fatorial foi proposta, carregando 43 fatores de valores com o suporte da análise fatorial exploratória (AFE) e escalonamento multidimensional (MDS). O modelo de valores proposto foi chamado de VADMC por se tratar dos Valores dos estudantes de Administração Catarinenses e apresenta 12 valores que se agrupam em 8 dimensões distintas. Os dados demonstraram o direcionamento a valores importantes na direção de comportamentos sustentáveis dos estudantes, tais como benevolência, universalismo tolerância, universalismo natureza, equidade, inovação e tradição, valores presentes nas dimensões de 3º nível: respeito, conservação ambiental, indulgência e legado.


Palavras-chave


valores individuais; perfis de valores; teoria de valores universais; estudantes de administração

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2359-618xregea.v11i3.p87-106.2022

Direitos autorais 2022 Revista Gestão em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.