Caracterização epidemiológica e distribuição geográfica de potenciais vetores da doença de Chagas na região do Maciço de Baturité, Ceará, Brasil

Robson da Costa Cavalcante, Augusto Sérgio Cavalcante, Francisco Bergson Pinheiro Moura, Zuleima Rida Góes Lima, Antônio Pinto Filomêno da Silva

Resumo


Objetivo: identificar potenciais vetores da doença de Chagas na região do Maciço de Baturité, Ceará. Métodos: no período de2014 a 2018, foi realizado estudo parasitológico em fezes de triatomíneos para Trypanosoma cruzi, em oito municípios da região do maciço de Baturité. Os triatomíneos foram capturados em ambiente intradomiciliar e peridomiciliar. Resultados: foram examinados 594 vetores, a diagnose revelou infecção natural por Trypanosoma cruzi em 79 (13,3%) espécimes, sendo, 53 machos (8,9%), 25 fêmeas (4,2%) e 1 ninfa (0,2%). Conclusão: os resultados evidenciam a região como endêmica para doença de Chagas com sete casos humanos confirmados em três municípios, existindo vários focos silenciosos em que pode haver a transmissão do agente etiológico.

Palavras-chave


Triatomíneos; Trypanosoma cruzi; Doença de Chagas

Texto completo:

PDFA


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v8i1.2644.p1-7.2020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Journal of Health & Biological Sciences

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Fale Conosco
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.