Investigação de surto de Histoplasmose pulmonar aguda entre bombeiros em Brazlândia, Distrito Federal, 2017

Ana Julia Silva e e Alves, Josivânia Arrais Figueiredo, Maria Adelaide Millington, Teresa Cristina Vieira Segatto, Alessandra Viana Cardoso, Mateus de Paula Von Glehn, Amabel Fernandes Correia, Bodo Wanke, Luciana Trilles, Rosely Maria Zancope Oliveira, Mauro de Medeiros Muniz, Marcos de Abreu Almeida, José Evoide de Moura Junior, Marcelo Yoshito Wada

Resumo


Objetivos: Investigar o surto de histoplasmose em bombeiros no Distrito federal/DF, ocorrido em junho de 2017. Métodos: Realizou-se um estudo de coorte por meio das entrevistas realizadas com os bombeiros mediante um questionário semiestruturado. Considerou-se infectado o bombeiro que apresentou tomografia de tórax sugestiva de histoplasmose ou reagente nos testes de imunodifusão e/ou Western blot. Coletou-se amostra ambiental e realizou-se Nested PCR específico para Histoplasma capsulatum. Resultados: Entre 35 bombeiros, 94,3% eram homens; com a mediana de idade de 37 (24-45) anos, 28 foram classificados como infectados. A média de permanência dentro da caverna foi 25 minutos. O fator de risco associado à infecção foi o ato de entrar na caverna (RR=3,86; RA=71,6; p<0,02). Entre 14 amostras ambientais, 50% foram positivas para H. capsulatum. Conclusão: Confirmou-se o surto de histoplasmose de bombeiros em Brazlândia-DF, e foram tomadas ações como a interdição da caverna e o tratamento dos bombeiros.


Palavras-chave


Bombeiros; Surtos de Doenças; Histoplasmose; Estudos de Coortes

Texto completo:

PDFA


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v9i1.3757.p1-7.2021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Journal of Health & Biological Sciences

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Fale Conosco
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.