A relação do transtorno do espectro autista e a disbiose intestinal: uma revisão integrativa

Suellen Monike do Vale Sabino, Monica de Oliveira Belém

Resumo


Objetivos: evidenciar as relações e a existência do agravamento do Transtorno do Espectro Autista devido à disbiose intestinal. Métodos: revisão integrativa realizada segundo a pergunta norteadora: Existe comprovação científica entre a relação do TEA e disbiose intestinal que favoreça a melhora na prática clínica e indicações de possíveis respostas? Buscou-se por artigos publicados entre janeiro de 2016 e janeiro de 2021, nas bases de dados: PubMed, SciELO, LILACS, GOOGLE ACADÊMICO. Foram utilizados os descritores (DeCS): “Transtorno do Espectro Autista”; “Microbiota gastrointestinal”; “Disbiose”, associados pelo operador booleano “E”. Foram incluidos artigos de revisões bibliográficas, completos, originais, limitados aos idiomas inglês e português brasileiro, publicados nos últimos cinco anos, e que, após leitura do resumo, estivessem dentro do escopo da revisão. Resultados: Foram identificados 52 manuscritos e, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, foram considerados 11 artigos que evidenciam o agravamento do TEA por fatores intrínsecos à microbiota intestinal. Conclusão: existe importante influência causal do eixo bidirecional cérebro-intestino-microbiota na etiologia e exacerbaçao das manifestações clínicas do Transtorno do Espectro Autista devido à disbiose intestinal e aos fatores gastrointestinais de origem idiopática.

Palavras-chave


Transtorno do Espectro Autista; Microbiota gastrointestinal; Disbiose intestinal

Texto completo:

PDFA


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v10i1.4201.p1-9.2022

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2022 Journal of Health & Biological Sciences

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Fale Conosco
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.