Leishmaniose visceral: aspectos epidemiológicos, espaciais e temporais no município de Sobral, nordeste do Brasil, 2007-2019

Francisco Roger Aguiar Cavalcante, Kellyn Kessiene de Sousa Cavalcante, Jarier de Oliveira Moreno, Sandra Maria Carneiro Flor, Carlos Henrique Alencar

Resumo


Objetivos: descrever os aspectos epidemiológicos, espaciais e temporais da leishmaniose visceral humana, no município de Sobral, no período de 2007 a 2019. Métodos: foi realizado um estudo epidemiológico descritivo e ecológico de análise espacial e temporal, com uso dos programas Quantum-Gis e Joinpoint. Resultados: foram confirmados 316 casos novos, predominantemente, no sexo masculino, nas faixas etárias de 1 a 4 anos (26,3%) e de 20 a 39 anos (24,0%), na zona urbana. Febre (95,9%), fraqueza (85,1%), emagrecimento (80,1%), palidez (73,7%), esplenomegalia (75,6%) e hepatomegalia (69,3%) foram os sinais clínicos mais frequentes. A doença se concentrou em quatro bairros: Terrenos Novos, Centro, Expectativa e Sinhá Saboia, expressando áreas mais densas (quentes). A incidência e a letalidade foram crescentes no início do período e decrescentes no final, com uma inversão destes indicadores no ano de 2014. Conclusão: em Sobral, a leishmaniose visceral humana é um agravo considerado relevante para o serviço de vigilância em saúde com necessidade de intensificação das ações de controle entomológico, zoonótico e de manejo ambiental, principalmente nas áreas mais densas.


Palavras-chave


Leishmaniose visceral; Epidemiologia; Incidência; Letalidade

Texto completo:

PDFA


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v10i1.4370.p1-8.2022

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2022 Journal of Health & Biological Sciences

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Fale Conosco
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.