VIDAS RESGATADAS: VULNERABILIDADE E POBREZA NAS VÍTIMAS DO TRABALHO ESCRAVO NO BRASIL

Juliana Barbara Silva Oliveira, Cintia Rodrigues de Oliveira

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo mapear características comuns aos trabalhadores vítimas da escravidão contemporânea no Brasil, e, particularmente, expõe práticas inaceitáveis de gestão do trabalho. Para tanto, considera o agrupamento por regiões, faixas etárias, grau de escolaridade e outras categorias, o que nos permite criar um cenário para futuras abordagens políticas, econômicas e culturais. Os dados analisados foram obtidos pela pesquisa documental no Observatório Digital do Trabalho Escravo, na Secretaria de Inspeção do Trabalho, e de ONGs como Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo (InPACTO) e Repórter Brasil. Os resultados apontam que determinadas características, como a força física necessária para enfrentar jornadas exaustivas, fatores geográficos e, sobretudo, a vulnerabilidade econômica e social do trabalhador facilitam seu aliciamento, podendo-se vislumbrar uma relação entre pobreza e trabalho mão o.


Palavras-chave


Trabalho Escravo; Pobreza; Exclusão

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2359-618xregea.v10i2.p115-129.2021

Direitos autorais 2021 Revista Gestão em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.