COMO ANDA A INOVAÇÃO?

UMA ANÁLISE DA CULTURA DE INOVAÇÃO EM UMA EMPRESA DE SANEAMENTO BÁSICO

Autores

  • Natanael da Silva Macário
  • Luiz Antonio Felix Júnior
  • Wênyka Preston Leite Batista da Costa Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)
  • Rafael Fernandes de Mesquita
  • Vera Lúcia Cruz

DOI:

https://doi.org/10.12662/2359-618xregea.v13i2.p50-67.2024

Palavras-chave:

inovação, cultura de inovação, setor público

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar os aspectos da cultura de inovação de uma empresa de saneamento básico, por meio da percepção dos seus funcionários. A pesquisa teve natureza quantitativa e descritiva, utilizando como instrumento uma escala de cultura da inovação adaptada a partir do modelo desenvolvido por Dobni (2008), traduzido e validado no idioma português por Ladeira e Lund (2010), e teve como amostra considerada 171 respondentes, com coleta de dados realizada entre março e outubro de 2022. Foram realizados procedimentos estatísticos para validação do instrumento e posterior análise dos dados coletados. Os resultados indicam que os funcionários têm boa percepção da cultura da inovação na empresa, principalmente no que tange ao espaço para exposição de ideias e sugestões, além de uma autoanálise de criatividade positiva, e entendimento do objetivo fim da companhia; entretanto, ainda é preciso fortalecer uma sistemática de avaliação, validação e implementação dessas ideias, além de desenvolver melhor os processos de comunicação inovativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natanael da Silva Macário

Graduado em Administração pelo Centro Universitário Fametro. Supervisor de Obras da Companhia de Água e Esgoto do Ceará.

Luiz Antonio Felix Júnior

Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal da Paraíba (2014), especialista em Docência no Ensino Superior pelo Centro Universitário Senac (2015) e mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco (2015). Atualmente é Professor do ensino básico, técnico e tecnológico do Instituto Federal de Alagoas (IFAL - Campus Benedito Bentes), editor da área de contabilidade e finanças da Revista Gestão e Organizações (ReGOr/IFPB), editor da área de contabilidade, finanças e administração pública da Revista Principia (Principia/IFPB), membro do Conselho Editorial da Revista Conhecimento Contábil (RCC/UERN/UFERSA), revisor de periódicos, eventos, agência de fomento e líder do Núcleo de Estudos sobre Organizações, Gestão, Empreendedorismo, Tecnologia e Qualidade (NeoGetq/CNPq/IFAL). Desenvolve estudo de Doutoramento em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar (PPGA/UnP) no qual é bolsista do Novo Programa de Formação Doutoral Docente (PRODOUTORAL/CAPES/IFAL edital nº 08/2018). Desenvolve pesquisas em administra pública e contabilidade, tendo como temas de interesse: governança pública inteligente; participação social: controle social, engajamento do cidadão e comunicação; governo aberto; governo digital; colaboração, participação e parceria; cidades inteligentes; valor público; educação financeira, finanças comportamentais e divulgação da informação contábil.

Wênyka Preston Leite Batista da Costa, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Doutora em Administração pela Universidade Potiguar. Professora Adjunta e Chefe do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Mossoró - RN - BR.

Rafael Fernandes de Mesquita

Doutor em Administração de Empresas pela Universidade Potiguar-UnP. Professor do Instituto Federal do Piauí. Piripiri - PI - BR.

Vera Lúcia Cruz

Doutora em Administração pela Universidade Potiguar. Professora da da Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa - PB - BR.

Downloads

Publicado

2024-03-14

Como Citar

MACÁRIO, Natanael da Silva; FELIX JÚNIOR, Luiz Antonio; COSTA, Wênyka Preston Leite Batista da; MESQUITA, Rafael Fernandes de; CRUZ, Vera Lúcia. COMO ANDA A INOVAÇÃO? : UMA ANÁLISE DA CULTURA DE INOVAÇÃO EM UMA EMPRESA DE SANEAMENTO BÁSICO. Revista Gestão em Análise, Fortaleza, v. 13, n. 2, p. 50–67, 2024. DOI: 10.12662/2359-618xregea.v13i2.p50-67.2024. Disponível em: https://periodicos.unichristus.edu.br/gestao/article/view/4972. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos