Democracia sob a ética capitalista

Daniel Viana Teixeira

Resumo


Constituindo a democracia princípio básico de organização social e política, adotado por grande parte das populações ao redor do globo, o conhecimento dos valores e modelos institucionais dos sistemas democráticos é de fundamental importância para as ciências sociais. Tais objetos relacionam-se a aspectos cruciais da ordenação social, envolvendo questões de natureza ética, que demandam a tomada ou pressuposição de decisões morais e políticas a seu respeito. O contexto ético próprio das sociedades capitalistas contemporâneas fornece respostas com certo grau de homogeneidade sobre essas questões, o que importa numa compreensão específica do significado atribuído aos valores básicos da ideologia democrática — liberdade e igualdade —, e na adoção de um modelo institucional hegemônico para os sistemas políticos democráticos. Analisa-se o tratamento que se tem dado a esses temas, enfatizando o caráter predominantemente ético da discussão, que se subordina muito mais a um julgamento interior, segundo critérios pessoais dos indivíduos envolvidos, do que a condicionantes exógenos ou pretensas imposições “naturais”. Propõe-se, ainda, uma análise sobre se e como os sistemas políticos democráticos têm capacidade de ser sensíveis e de responder à orientação ética e aos interesses de cada um dos indivíduos a eles submetidos.

Palavras-chave


Teoria da democracia; Filosofia moral e política; Liberdade e igualdade; Liberal-democracia; Ética capitalista

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.12662/2447-6641oj.v8i12.p49-78.2010

Direitos autorais 2016 Revista Opinião Jurídica (Fortaleza)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.
Unichristus 2016. Todos os direitos reservados.